Partilha

Objetivos

– Descrever o que é o Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM) e quais os seus intervenientes.
– Descrever como ativar o sistema de emergência médica utilizando o número europeu de socorro “112”.
– Identificar o conceito de cadeia de sobrevivência e identificar os seus elos.
– Explicar a importância da cadeia de sobrevivência e qual o princípio subjacente a cada elo.
– Reconhecer os riscos potenciais para o reanimador.
– Identificar as medidas a adotar para garantir a segurança do reanimador e da vítima.
– Identificar as medidas universais de proteção e reconhecer a sua importância.
– Explicar o conceito de Suporte Básico de Vida (SBV) de acordo com o algoritmo vigente.
– Explicar o conceito de avaliação inicial, via aérea, respiração e circulação.
– Aplicar a sequência de procedimentos que permitam executar o SBV de acordo com o algoritmo vigente.
– Identificar os problemas associados à execução de manobras de SBV.
– Identificar quando e como colocar uma vítima em posição lateral de segurança.
– Identificar as contra-indicações para a posição lateral de segurança.
– Identificar as situações de obstrução parcial e total da via aérea.
– Identificar as causas e os tipos de obstrução da via aérea.
– Aplicar a sequência de atuação perante uma vítima com obstrução da via aérea.
– Identificar situações de perigo através da execução do exame à vítima.
– Identificar as emergências médicas mais frequentes.
– Identificar os principais sinais e sintomas característicos das emergências médicas.
– Aplicar os primeiros socorros adequados a cada emergência médica.
– Identificar os vários tipos de hemorragias.
– Identificar os sinais e sintomas mais comuns das hemorragias.
– Listar e descrever os vários métodos de controlo de hemorragias.
– Controlar uma hemorragia através dos métodos de controlo.
– Identificar os tipos de feridas mais comuns.
– Tratar uma ferida utilizando pensos e ligaduras.
– Identificar os tipos de queimaduras mais comuns.
– Tratar provisoriamente uma queimadura.
– Identificar os traumatismos mais comuns dos membros.
– Reconhecer o que fazer e/ou não fazer nestes casos.
– Identificar as situações específicas que requerem a intervenção do profissional de Saúde.
– Explicar que as tarefas que se integram no âmbito de intervenção do/a Técnico/a Auxiliar de Saúde terão de ser sempre executadas com orientação e supervisão de um profissional de saúde.
– Identificar as tarefas que têm de ser executadas sob supervisão direta do profissional de saúde e aquelas que podem ser executadas sozinho.

Destinatarios

Ativos empregados com habilitações mínimas do 9º ano de escolaridade.
Desempregados inscritos no IEFP com habilitações mínimas do 12º ano completo.

Duração

25 Horas

Data(s) de Inicio

A definir.

Local de Realização

Região de Lisboa.

Conteúdos Programáticos

Clique na imagem para aceder aos conteúdos.

CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES (CNQ)

 

Confere

Certificado de Qualificações.

Subsídio de alimentação aos formandos desempregados, no valor de 4,52€ por dia de formação, desde que assistam a pelo menos 3 horas de formação diária.
Os empregados poderão receber este apoio se a formação se realizar em horário pós-laboral.

Preço

Formação Gratuita

Certificação

  • DGERT - Entidade Certificada